Abordar a temática da importância dos jogos educativos para o desenvolvimento da criança na Educação Infantil é fundamental, pois, a estrutura escolar deve proporcionar aos seus educandos, as condições necessárias para o seu próprio próprio desenvolvimento, ou seja, que nesse contexto esteja presente um ambiente adequado, como também profissionais realmente capacitados para exercerem também a função do lúdico em suas atividades.

O lúdico deve ser um elemento didático priorizado no aprendizado da criança na educação infantil, ele deve ser estimulado e apresentado ao aluno como um recurso importante, pois acaba contribuindo para seu melhor desenvolvimento em todos os aspectos.

O jogo tem duas classificações diferenciadas na educação: primeiro, o jogo é concebido como algo que é necessário, positivo e real, e na outra perspectiva, é visto por alguns educadores como uma didática pedagógica desnecessária e considerada inútil.

No entanto, os professores que optam por adotar a ludicidade nas suas aulas, devem preocupar-se em abordar elementos essenciais e específicos que devem unir-se um a outro para que se obtenha a concretização eficaz do aprendizado utilizando esse recurso.

Cabe destacar que o direito da criança brincar, e praticar atividades esportivas está amparada na Lei 8069/90, em seu artigo 16, inciso IV. É na fase da educação infantil, que a criança tem toda a base fundamental de seu aprendizado. Lembrando que o educador deve criteriosamente observar o desenvolvimento do seu educando em todos os aspectos, psicológicos, sociais, emocionais e físicos.

JOGO DO ALFABETO:

Jogo do alfabeto

Jogo do alfabeto

JOGO DE CIÊNCIAS:

Jogo de Ciências

Jogo de Ciências

JOGOS LÚDICOS:

Jogos Lúdicos

Jogos Lúdicos

JOGOS DE INGLÊS:

Jogos de Inglês

Jogos de Inglês

É muito importante conhecer os jogos infantis utilizados para se trabalhar com o alfabeto, ciências, atividades lúdicas, inglês e podermos compartilhar estas com as crianças na educação infantil, procurando à cada uma delas trabalhar de uma forma ampla, não restringindo-a à objetivos únicos e específicos, nem das brincadeiras e jogos, nem, do próprio educando. Devemos ter sempre em mente que a cada brincadeira pode surgir infinitas formas e oportunidades de exploração, de vivências que poderão ser exploradas em cada disciplina específica. E que cada criança é um ser único que pelo seu desenvolvimento e inteligência permite evocar o passado, viver e representar o presente e “sugestionar” o futuro .

REFERÊNCIAS:

PIAGET (1975) – A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar Editores.

REVISTA DO PROFESSOR. Papel do Brincar. Porto alegre, jul./set. 2002.

RIZZI, Leonor e Haydt, Regina Célia. Atividades lúdicas na educação da criança. Ed. Ática, 6º edição, Série Educação. 1997

ROSA, Sanny S. da. Brincar, conhecer e ensinar. São Paulo: Cortez, 2002.

[starbox]